img



TECNOLOGIA

Primeira graduação do Brasil voltada para criação de startups, Startup Academy está com inscrições abertas 

Publicado em 14/05/2024


Eduardo Carneiro
Primeira graduação do Brasil voltada para criação de startups, Startup Academy está com inscrições abertas 

Sócios da Startup Academy




Apresentada recentemente ao mercado, a edtech promete revolucionar o ensino superior, formando empreendedores em dois anos. As aulas iniciam no dia 27 de maio.

Já lançada como o ponto de encontro entre o empreendedorismo e a educação, a Startup Academy, investida pelo grupo Atitus Educação, tem um objetivo em mente: tornar-se a principal referência em educação empreendedora na América Latina. A ideia central é que o ensino superior deve ser transformado diante da realidade atual, para que possa proporcionar resultados realmente satisfatórios e práticos, em um espaço de tempo curto, mas bem empregado. 

“Este ensino deve ser inovador, ágil, moderno e passível de impulsionar a próxima geração de empreendedores para que sejam capazes de criar startups de classe mundial. Parece um cenário distante do habitual, do que é do entendimento de todos como a realização e conclusão de um curso. No entanto, o método é eficientemente aplicável; ele parte de um novo formato de graduação, focado no desenvolvimento do empreendedor e na construção do modelo de negócio de uma startup ao longo da jornada”, explica Juliana Suzin, co-fundadora e CEO da edtech. A Startup Academy é liderada também por Susana Kakuta e Alsones Balestrin, especialistas na área educacional há mais de duas décadas.

Com uma cultura focada em resultados, a graduação está com inscrições abertas e as aulas iniciam no dia 27 de maio. Ao final do curso, os discentes recebem o diploma de ensino superior reconhecido pelo MEC e têm um negócio pronto para escalar no mercado. Flavio Franco Lerrer, de 59 anos, é um dos candidatos já inscritos. Formado em Direito, ele sempre quis empreender, mas não encontrava um curso voltado para o que pretendia. “Li sobre a edtech num jornal e vi a oportunidade para colocar em prática a minha startup de soluções tributárias para empresas. Para mim, o diferencial da Startup Academy é que a graduação abre um novo mercado de trabalho em relação aos empregos formais”, revela Ferrer.

Para Juliana, esses relatos potencializam a crença em um futuro educacional direcionado ao sucesso de cada um: “Temos a certeza de que o que fazemos hoje será reconhecido como um importante passo que a educação tinha de tomar. A adequação à tecnologia, à especificidade da formação para embasar os sonhos de cada empreendedor é fundamental para a qualidade de vida de toda uma sociedade. Tornamos possível e viável o que a maioria enxerga apenas como projeção ideal”, analisa.

Dessa forma, a Startup Academy pretende ressignificar o ensino superior e, a partir disso, gerar impacto econômico, ao fomentar a criação de startups, e social, ao proporcionar acesso ao ensino formal de jovens que poderão encontrar no empreendedorismo uma forma de transformar o seu futuro. Neste aspecto social, Juliana salienta o compromisso da edtech com a sociedade e com os princípios de ESG. “Disponibilizaremos ainda 10% das mil vagas disponíveis na graduação, distribuídas em polos por todo o país, em bolsas de estudos para alunos de escolas públicas e comunidades periféricas”, aponta a CEO.

Como ingressar?

Assim como toda a metodologia da edtech, a entrada na graduação almejada é simples e assertiva e segue todos os critérios exigidos pelo Ministério da Educação. Pode ocorrer de duas maneiras: por intermédio da nota alcançada no Enem ou de uma redação em que conste o objetivo quando da conclusão do curso. Até o momento, já se inscreveram 130 pessoas.

As aulas são virtuais, mas os alunos têm à disposição os polos educacionais, dispostos em vários estados, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e São Paulo. O próximo passo é avançar para localidades do Nordeste e Norte. Os estudos se dão por uma plataforma educacional, chamada Coursera, em que estão cursos de instituições de ensino mais respeitadas do mundo. 

“E essa metodologia é muito dinâmica, já que conta, desde o primeiro dia de aula, com workshops, bootcamps e hackatons, que não focam na teoria, mas na junção da gestão ágil com a inovação empreendedora. Assim sendo, em apenas 24 meses, o aluno sai preparado para escalar no mercado, tendo não apenas o diploma de conclusão do ensino superior, mas sua startup certificada e pronta para alavancar e prosperar”, conclui Susana.

“Tudo isso é também possível e viável porque a Startup Academy conta com um time de professores e mentores que são líderes de startups, personalidades reconhecidas por suas conquistas, de suas empresas, diante das comunidades abordadas. Ademais, conectamos cada discente a investidores e especialistas que estão inseridos no ambiente global das startups”, completa Balestrin.









Shopping








Leia também ...



















Aqui tem mais notícias para você ler ...